Business Analytics: Conheça este novo conceito em TI

Business Analytics

Análises e previsões de cenários em tempo real representam o futuro da TI como ferramenta de apoio à tomada de decisão.

O recente avanço nas redes sociais e a infinidade de informações provenientes das mais diversas fontes têm mostrado para as organizações que os dados localizados nos seus servidores já não são mais suficientes para elaborar análises que efetivamente proporcionem diferenciais competitivos ao negócio.

Análises e previsões de cenários em tempo real representam o futuro da TI como ferramenta de apoio à tomada de decisão.

ba2_2O recente avanço nas redes sociais e a infinidade de informações provenientes das mais diversas fontes têm mostrado para as organizações que os dados localizados nos seus servidores já não são mais suficientes para elaborar análises que efetivamente proporcionem diferenciais competitivos ao negócio.

 

Por esta razão, o uso dos softwares de análise - Business Intelligence (BI) ganhou bastante destaque no mercado corporativo nos últimos tempos, aparecendo como prioridade dos CIOs em estudos divulgados por consultorias globais como Gartner, IDC e Forrester.

 

Criado pelo Gartner Group, o termo Business Intelligence surgiu na década de 80 como um sistema de suporte à gestão cujo objetivo era auxiliar as empresas na tomada de decisões inteligentes com base em dados recolhidos pelos diversos sistemas de informação. O BI consiste na utilização de variadas fontes de informação a partir das quais se geram análises que, por sua vez, definem as estratégias de competitividade nos negócios da companhia. Com ele, a organização consegue transformar os dados armazenados nos seus sistemas em informação qualitativa e relevante para a tomada de decisão alinhada a uma meta específica do negócio.

 

Entretanto, com o turbilhão de informações disponíveis de forma cada vez mais ágil no mercado, as empresas começam a perceber que estar conectadas em tempo real com os dados que possam impactar suas estratégias de negócio é crucial para garantir sua competitividade. O BI se torna então insuficiente para as análises necessárias. Isto porque é preciso agora que os dados sejam coletados e analisados em tempo real, gerando informações preditivas baseadas em modelos matemáticos e estatísticos altamente sofisticados. Essa nova perspectiva de análise caracteriza o conceito de Business Analytics (BA) que surge como ideal para auxiliar a tomada de decisão das organizações.

 

No Brasil, a tendência da implantação do conceito de BA ainda é distante, uma vez que grande parte das empresas continua investindo em projetos tradicionais de Business Intelligence. No entanto, análises preditivas de negócios já fazem parte do contexto das organizações brasileiras e, aquelas que ainda não implantaram o BI já começam a ensaiar os primeiros passos na era do BA.

 

Vale ressaltar que a formação e a organização da base de dados que alimenta tanto o BI quanto o BA é a parte mais importante do processo de implantação dessas ferramentas de análises e previsão de cenários. Por isso, é essencial ter uma base de dados padronizados, bem estruturados, tomando como parâmetro as respostas que a empresa procura, ou seja, o ponto de partida para uso desses softwares analíticos é sempre o negócio em si em função de uma meta específica da companhia.

 

Em entrevista concedida para a ComputerWorld, em dezembro de 2010, Pedro Bicudo, sócio-diretor da TGT Consult, afirmou que a maioria das organizações não sabe lidar com arquitetura da informação. “Não adianta investir em soluções sofisticadas sem se preocupar em buscar excelência na área de arquitetura, em zelar pela qualidade da informação”, disse.

 

Um dos caminhos indicados para pequenas e médias empresas que têm limitação de investimento para manutenção de soluções preditivas in house e desejam atuar com este novo conceito é contratar consultorias de serviços analíticos com expertise tecnológica e orientadas a trabalhar de acordo com objetivo do negócio. “O interessante, nesse caso, é que não é necessário manter matemáticos e especialistas em algoritmos dentro de casa, o que costuma sair muito caro”, completa Bicudo.

 

Para as grandes corporações, o conceito de BA ainda enfrenta resistências, pois essas empresas não se convenceram de ver suas informações disponíveis fora de seus servidores e, além disso, muitas delas entendem que por estarem dentro do data center, o melhor é que os dados sejam gerenciados por uma equipe própria.

 

Seguindo a trajetória da computação em nuvem, a previsão é que o BA migre aos poucos de uma nova tendência para um conceito consolidado na área de TI.

 

Totvs disponibiliza solução de BA integrada ao ERP

 

Por meio de uma parceria com a IBM, a Totvs passa a oferecer às empresas de pequeno e médio porte o ERP no modelo SaaS (software como serviço) complementado com o Business Analytics da IBM. Desta forma, os clientes terão a opção de adquirir o software de BA Cognos já integrados em seus ERPs. A Totvs realizará a venda, a customização, a entrega e o suporte do aplicativo. Para mais informações, entre em contato com a GSW, parceria de negócio da Totvs (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

 

Newsletter: Edição 009 – Ano 2011

 

Leia Também:

 

Falta de mão de obra qualificada no setor de TI: Como atender a crescente demanda diante deste desafio?
GSW investe em programas de qualidade de vida para colaboradores
Sua empresa está preparada para uma contingência em TI?
Empresas brasileiras gastam cerca R$ 42 bilhões por ano para se manter em dia com as obrigações tributárias.
Olá, Tudo Bem?
Se precisar estamos a disposição.

Receba nossa newsletter

Fique tranquilo não enviamos e-mails em excesso.

Nome
E-mail
Assunto
Selecione

  • Desenvolvimento de Sistemas
  • SAP Solution Center
  • Gestão Tributária
  • Comércio Exterior
  • BPO Tributário
  • CRM & Mobile